domingo, 29 de abril de 2012

Depressão


Não sei qual a razão,
de tamanha indagação,
se dói no peito o coração,
já que dizem ser depressão.

É tristeza indomável,
coisa tida como sem fim,
é algo inimaginável,
essa dor dentro de mim.

Depressão me consumia,
não consigo esquecer,
não importava o que fazia,
só pensava em você.

Depressão é um desejo,
de ter o que se perdeu,
é feito aquele beijo,
que você nunca recebeu.

Depressão é de momento,
e que também pode durar,
mas que ainda assim passa com o tempo,
e se renovam feito as ondas do mar.

Chove


Chove no meu telhado,
chove e a janela está aberta,
eu me recuso a fechá-la,
 E eu frente dela permaneço de pé.

Vento corte meu rosto,
chuva congele meu corpo,
Mas minha alma permanecerá intocável.

Tentaram cortar a minha lua nova,
 tentaram fazer chover sangue,
minha lua, bela lua,
está alta demais para ser tocada.

A chuva bate em minha face,
mas a janela eu não fecharei,
ficarei de pé até o ultimo segundo,
e mais além.

O meu sol virá me aquecer,
enxugar todas as minhas lágrimas,
e me trazer nova vida. 




Este poema foi escrito por: Aline Hipólito

sábado, 21 de abril de 2012

Oceano de Pensamento


Nem mesmo por um momento,
é possível deixar de lembrar,
as coisas que com o tempo,
passei a me importar.

É oceano de pensamentos,
é mar de emoção,
são marcas na areia,
em meu coração.

Feito folha ao vento,
no fim da estação,
é flor que semeia,
a compreensão.

Nesse oceano imenso,
de idéias, sonhos e afins,
são coisas que penso,
como haver um começo, sem um fim?

Às vezes me esqueço.
sou feito de sonhos e pensamentos,
às vezes não mereço,
compartilhar os melhores momentos.

Mas feito as ondas do mar,
o oceano de pensamentos e idéias vou encontrar,
sei que os ventos certos vão me guiar,
e eis que nesse instante irei me reencontrar.

sábado, 14 de abril de 2012

Luar


Penso nos mistérios da noite,
fico perdido a imaginar,
penso aonde foste,
e se irei te encontrar.

No céu um luar sem fim,
só para me guiar,
pois o que enfim,
a ti quero entregar.

A lua de faz sorrir,
quando você me faz chorar,
pois ela faz me lembrar de ti,
e do teu doce afagar.

Sem ti no céu não à beleza,
sinto e vos digo,
vós sois o meu abrigo,
e lhe digo com certeza.

Vós sois um mistério,
que pretendo desvendar,
pois o que mais quero,
é poder te amar.

Lembro-me de ti toda noite,
á toda hora e lugar,
por mais que não demonstre,
transborda no olhar.

Tudo o que espero,
é poder te olhar,
e dizer que te quero,
pois tu eis o meu Luar.